latentes viagens

Este espaço é um experimento aberto, amplo, intuitivo e original. Liberto das amarras acadêmicas, sistêmicas e conceituais, sua atmosfera é rarefeita de ideias e ideais. Sua matéria prima é a vida, com seus problemas, desafios e dilemas. Toda angústia relacionada ao existir encontra aqui seu eco e referencial. BOA VIAGEM!

seu silêncio
seu grito
a sua verdade

seu pão
o seu circo
a sua vontade

seu irmão
seu amigo
a sua coragem

imprevisível
destino
a sua
engrenagem

seu sorriso
oficio
a sua arte

intimo
segredo
agora
revelado

o mistério
o planeta
o cometa
sou cosmos

do sol
os seus
raios

a certeza
da vida
a sua morte

o vento
que sopra
do sul
ao norte

um tapete
no chão
estendido
para pés
delicados

a imagem
cinzenta
de um dia
nublado

a parede
a moldura
o divino
quadro

o singelo
arquiteto
quiçá
o mercenário

uma prece
quermesse
o visionário

o profeta
o alerta

o que
segue
calado

Escrevo poemas
Aberto a discussões
Ser sempre sincero
São as minhas condições
O resto é desperdício
Fruto das vis ambições
Não tenho segredos
mas tenho minhas visões
Ontem tive medo
Hoje tenho revelações
De um lado desespero
Do outro as ilusões
Valorizo o respeito
Em todas ocasiões
Não carrego o desprezo
Mas tenho minhas opções
A verdade tem seu preço
Eu tenho minhas decisões
Reconheço o seu peso
Em todas resoluções
O tempo traz a certeza
Para alguns corações
Eis a minha fortaleza
O porquê das orações
Dissipo toda tristeza
Na pureza das canções
Vivo sempre com destreza
No silêncio das missões
A vida possui beleza
Além de suas dimensões
Sei que não sou perfeito
Tenho minhas limitações
No mundo de incertezas
Carrego intuições
O destino é incerto
Mas tem suas previsões
O futuro será passado
No presente das ações
Me sinto elevado
Levado por vibrações
Mergulho em mim mesmo
Dissipo as distrações
Me recolho no silêncio
Abstraio situações
Evito julgamentos
Não acredito em sermões
Aceito o que sou
Não permito projeções
Vivencio a verdade
No mundo das mirações
Já estive na trincheira
Entre balas e canhões
Hoje poeta da fronteira
Entre ritos e razões

Lanço agora ao universo
As minhas opiniões
Se é verdade o que penso
Chegue as suas conclusões
Pois pensar por si mesmo
É o preço das reflexões!

Viva o ócio
o óbvio
a filosofia

Risque
o fósforo

acenda
uma
poesia

O desafio
é viver,
sem
temer,
sem 
   duvidar,  
 acreditar,

minha 
vida
entregar,

vontade
sublimar,

desejo
é alimento,
combustível
da alma,

pensamentos
são atos,
preconiza
a calma,

paciência
ameniza
o aflito,

o padrão
mental
normal
é o conflito,

vivo
o meu
 dia,
 
valorizo
o ar
que
respiro,

a dimensão
que habito,

na
busca
pelo
equilíbrio,

exercito
a terapia
do grito,

converso
com
espíritos
e amigos,

evito
discussão,

escolho
hoje ser
feliz
do que
sempre ter
a razão

sentiu se
preso
ao tempo
aos poros
à pele

sentiu
o peso
do tempo
nos poros
da pele

despiu-se
do tempo
dos poros
da pele

descobriu-se
desespero
deserto

fantasmas
fantasiam
penumbras

ninguém
por perto
em si
testemunha

após o
grito
o silêncio
escuta

o olhar
do outro
lhe trouxe
pra perto

do seu
sabor
seu cheiro
seu credo

sua humana
carne
colhida

seu espirito
alma
descoberto

desespero
interno
findou-se

pequena
mácula
ninguém
enxerga

a sua
vida
triste
é um
doce

a sua
guerra
pública
decreta

o fim
da vida
particular
secreta

****************************************************

nada
oculto
neste
mundo
fica

mas
o
segredo
seleciona
a espécie

******************************************************


Todos os dias,
motivos estão,
estendidos na pia,
calçada, menina,
há diversão,
antigos quintais,
nas sombras das frutas,
roupas nos varais,
nada demais,
apenas o vento,
me leva no tempo
dos meus currais,
antigos demais,
sempre essenciais,
os milharais,
crianças correndo,
sorrindo, vivendo,
agora tanto faz,
nada demais,
o tempo me traz,
além dos dilemas,
infância um tema,
emite sinais,
dos meus ancestrais,
repousam em paz,
sacode a memória,
baú de estórias,
que bem me faz,
o tempo atrás,
vivido em paz,
com coisas reais,
que satisfaz,
nada demais...

no inicio é muito tranquilo,

confortável,
o sabor do primeiro gole,
inevitável,
o prazer do primeiro porre,
inimaginável,
sobre isso,
ninguém discorre,
é claro,
inofensivo no principio,
parece diversão,
ameniza os conflitos,
torna o inimigo irmão,
nos finais de semana,
sua presença exala,
auto confiança, segurança, emboscada,
beber não pegar nada,
parece até piada,
a gente se diverte,
torna a vida engraçada,
preenche o vazio,
nem parece vício,
impossível lembrar
que isto leva ao alcoolismo,
entre tantas festas,
clima de euforia,
acenderam um baseado
e eu entrei naquela brisa, 
amor a primeira vista,
quanta alegria,
minha mente vagava,
a consciência distraia,
tudo bem corria,
nada preocupava,
a vida era uma festa
e eu me embriagava,
varava madrugada,
valorizava as noitadas,
todos eram amigos
somente a família não prestava,
nunca me apoiava,
ainda criticava,
o estilo de vida que eu adotara,
minha presença era rara,
nunca estava em casa,
somente na quebrada,
junto com os caras,
quebrando um de boa
conhecendo a malucada,
com o tempo,
foi se o bom momento,
a novidade acabou,
restou o sofrimento,  
nada para amenizar a dor,
optei por experimentar, 
o louco pó branco em dose cavalar,
picos de euforia,
insana alegria,
encontrei comigo mesmo
usando cocaína,
doce ilusão,
tremenda perdição,
afundei o nariz
distanciei dos irmãos,
de nada adiantava os conselhos,
nunca tive medo,
minha primeira ilusão,
acreditar se dono da situação,
em meio a compulsão,
pura obsessão,
o que era liberdade
tornou-se minha prisão,
difícil admitir e aceitar
que para ser feliz
era preciso cheirar,
uma dose virar,
baseado fumar,
viver na porta do bar,
esperar a primeira dose do dia,
para acabar com a fissura,
e poder voltar a vida,
usava pra viver,
vivia pra usar,
esta história é verdadeira,
você pode acreditar,
difícil imaginar,
mas tente evitar,
se possível for
nunca ouse experimentar,
se já estava ruim,
ainda podia piorar,
ao conhecer a pedra
fiquei entusiasmado,
no primeiro puxo,
gatilho disparado,
mais um viciado,
quiçá um noíado ,
andando pelas ruas,
perdido e chapado,
apenas mais um trago,
nada quero mais,
viver já não satisfaz
percorri este caminho
com demônios e vampiros
escravo da adicção
conheci o fundo do poço
desespero e solidão
muita dor e sofrimento
mil pedidos de perdão
pedi ajuda, fui socorrido
agradeço a Deus por isso
assumi o compromisso
de buscar a recuperação
conheci os 12 Passos
princípios espirituais
mente aberta
boa vontade
aceitação e humildade
para recuperar a sanidade
vivo com a reflexão
só por hoje
na minha vida
eu tenho uma opção
ser assertivo comigo
sendo meu sim, sim
e meu não, não
agradeço a Deus
por estar vivo
pelos meus novos amigos
e pela vida em comunhão
conheci o valor da prece
o poder da meditação
hoje tenho dificuldades
mas também aceitação
pois tenho humildade
para poder lidar com a vida
sem devaneio e ilusão
só por hoje
lhe desejo
um dia de superação
estar limpo é desafio
viver sóbrio
a solução
a vida vale mais
sinto isso
na alma
e no coração!

meus versos são gestos incertos
marcados por indizível saudade
não sei bem aquilo que quero
mas estou perto da minha verdade

não alimento pensamentos cruentos
sou refém desta nova cidade
entre cifras, multidões de credos
respiro a margem da modernidade

o ar fresco com cheiro de relva
domina a mental paisagem
testemunho a beleza da selva
prevalece somente a vontade

instintos, rumores de guerra
ecoam em suas miragens
exercem o domínio das feras
nas esferas além das paragens

navega a esmo o silêncio
portador de bela mensagem
os pequenos ruídos do tempo
são diluídos na eternidade

carrego comigo os lamentos
tormentos da crua saudade
liberdade contida nos versos
há luta no manto de carne

Imagine por um segundo a seguinte cena: um professor de filosofia dando aula sobre a importância de nós pensarmos por nós mesmos, em seguida, o aluno emite um juízo e o professor indaga: qual filósofo sustenta sua argumentação? Por estas e outras, me distanciei sensivelmente do ensino acadêmico e de suas diretrizes, suas matrizes respiram o ar decadente de velhos embusteiros do intelecto, professores que se ocultam sob uma espessa névoa de conceitos, preenchidos por vãs miragens subjetivas, reféns do medo, do orgulho e da insana vaidade de se julgarem os únicos detentores da verdadeira interpretação e sentido de um texto.  A maioria além de não  permitir ao aluno criar suas próprias ideias e sistemas, de certa forma o impede de percorrer o seu próprio caminho, criar suas próprias sentenças, crenças e afirmações, afinal, quem ele pensa que é para poder ousar este movimento livre e criativo? Tenho certeza que muitos filósofos se estremeceram de raiva e pararam de ler este texto quando se depararam com a palavra "crença", afinal, na filosofia em nada se crê, tudo se sabe, mas ouso dizer que tudo se renova, inclusive o sentido aqui empregado. Temos a crença que para se filosofar é necessário recorrer a terminologia filosófica utilizada na academia, quando várias questões poderiam ser formuladas sem necessariamente apelar para seu próprio ensino inclusive. Realmente, a primeira vista pode parecer contraditório, para um professor de filosofia defender este tipo de ideia, mas os questionamentos mais importantes sobre a nossa existência está próximo não só do filósofo como do comum dos mortais. Não existe nenhum ser humano, em sã consciência que não tenha pensado sobre a morte, a origem da vida e dos seres, que não tenha de certa forma se espantando diante da existência. A condição para todo processo filosófico é a capacidade de se espantar, pois as coisas não são tão simples como parecem, a realidade das coisas não reside naquilo que elas aparentam, mas naquilo que elas são de fato, a cortina de elétrons, nêutrons e prótons vela a essência de todas as coisas, a combinação de certos elementos, a troca incessante de moléculas, partículas, de matéria, proporciona a ideia de um incessante fluxo que sugere a ideia do permanente movimento. Questionar por si mesmo a sua própria origem é um ato de extrema coragem e beleza, pois quem indaga, pensa, quem pensa, além de refletir, busca por respostas, e estas não estão prontas, como estão inseridas no devir, estão sempre em constante mutação, apesar de alguns possuírem a crença no mundo das ideias, na existência de um plano imutável que pode ser alcançado pela pura abstração do intelecto, ainda temos algumas questões perturbadoras que nos levam de encontro ao pensar filosófico. A certeza inabalável da morte física é algo que nos leva a questionar a finalidade da vida, apesar de muitos acreditarem na ocorrência casual dos fenômenos, de rejeitarem sistematicamente toda ideia que possa estabelecer um certo sentido para o caos, isto não quer dizer que a mesma não possua um sentido maior totalmente diferente deste difundido pela sociedade contemporânea, que se apoia no saber como meio para atingir a realização de seus desejos e anseios mais íntimos e próximos, nem tudo aquilo que existe pode ser medido, mensurado e tocado, pelo menos nos termos estabelecidos pela ciência de hoje, no futuro as pessoas poderão admitir a possibilidade de cada pensamento emitido pelo ser humano possuir uma frequência e peso específicos, o que parece invisível, leve e sem nenhuma propriedade latente poderá ser estudado sob a mesma perspectiva com que estudamos um objeto. O estudo do ser irá nos levar de encontro a algumas questões importantes, que ao serem tratadas por instituições de cunho religioso, por exemplo, provoca divisões, discussões e todo tipo de sectarismo, ainda estamos longe de alcançarmos uma base comum, seja no âmbito do discurso, das práticas e dos ritos, apesar de algumas se apresentarem mais como filosofia e ciência, é na esfera do religioso que se concentra as suas atenções, temos um fascínio por tudo aquilo que ainda não conseguimos entender e explicar de forma racional, necessitamos buscar novos meios e modos para podermos compreender e entender determinados fenômenos. As leis da física são regidas por observações e experimentos, e cada uma tem a sua função enquanto agente especifico naquele tempo e espaço, pois de acordo com o espírito de cada época, todo cientista, filósofo e artista goza de um pequeno resquício da eternidade, além de serem sempre evocados dentro dos colégios e das universidades, suas obras refletem sobretudo a tentativa de compreenderem a origem e o fim último de todas as coisas, imprimir um sentido universal através de sua lente particular sempre foram as principais tentativas de todos os sistematizadores e fundadores de religião, fazer com que sua crença na imortalidade seja aceita como algo dado sem passar pelo crivo da experiência e da razão é algo bem improvável, e poucos ousariam optar pela admissão pura e simples desta possibilidade, acredito piamente, que se todos tivessem o poder e a capacidade de desenvolverem suas faculdades e terem de fato a prova irrefutável de certos fenômenos e princípios a partir da analise e do conhecimento de si mesmos, o mundo estaria repleto de seres conscientes e despertos, seres que já se despiram da falta de humildade de reconhecer a legitimidade de um criador e da existência do espírito eterno e imortal, sem romantismo ou qualquer tipo de idealidade religiosa ou ancestral, o mundo perdido se transformaria no mundo a ser buscado, pois a esperança se tornaria certeza, e a nossa percepção do tempo e do espaço se dilataria pela eternidade dos anos, os números e a vida seriam reduzidas as suas justas medidas e proporções, o futuro não seria algo a ser temido, mas sim entendido e perfeitamente previsto e modificável, visto as dimensões do tempo estarem todas intimamente entrelaçadas pelas leis de causa e efeito, ação e reação, não nos cabe aqui, delinear um quadro e oferecer fartos argumentos para que as pessoas possam sair convencidas de sua imortalidade, mas podemos sim, estar certos que existem certos convites que não podem e não devem passar despercebidos a uma alma mais atenta e sensível aos apelos do intelecto. A formação de todos os seres perpassa pelo contato consciente com o Ser Superior imanente a própria criação, a nossa maior preocupação deveria ser pela busca incessante da verdade, custe o que custar, o desvelamento ininterrupto e continuo da realidade a nossa meta e a sensibilização gradativa das nossas potencialidades o alvo, pois somente através da educação, da sutilização do espirito poderemos travar um contato direto e imediato com os seres de outras esferas, sem nenhum tipo de obstáculo ou perturbação proveniente de nossa inferioridade e da nossa ignorância. Precisamos nos abrir a certas realidades, caso estejamos interessados na melhoria individual e coletiva do planeta, a criação de escolas destinada a educar pessoas que reconheçam a importância e a necessidade de preservamos os recursos naturais, de mantermos uma postura de respeito e de afeto pelo outro, de valorizar sobretudo as relações humanas, mais do que a relação homem máquina, de restabelecer o ser ao seu verdadeiro lugar, pois apesar de não sermos o centro do universo, é preciso exercer o auto respeito e o auto amor, isto só será possível com o estimulo e o incentivo de fazerem as pessoas pensarem e agirem por si mesmas, de forma autônoma, totalmente livre e original, para isso "serve" a filosofia!  

A dependência química é uma doença incurável, progressiva e de determinação fatal. Seu diagnóstico é de difícil detecção visto que somente seu portador pode afirmar que o é. Vários são os motivos que podem levar as pessoas a usarem drogas entre eles podemos destacar os principais fatores: cultural, social e curiosidade. Movidos pelo ímpeto das novidades e para se auto afirmarem perante o grupo, milhares de jovens se aventuram por um caminho que muita das vezes se afigura sem volta. A primeira vista parece um exagero esta consideração, mas ao analisarmos friamente os números levantados pelas estatísticas iremos constatar que somente três por cento das pessoas que desenvolvem a dependência conseguem interromper o seu uso e ter sua vida de volta. O primeiro contato e estimulo ocorre de diversas formas. Acima de tudo devemos nos lembrar que nossa sociedade é essencialmente alcoolista e todos nós em algum ponto da existência já usamos drogas. Num primeiro momento, pode parecer absurdo mas ao questionarmos seriamente as pessoas, poucas seriam aquelas que não saberiam dizer qual o gosto de uma simples cerveja. As pessoas são impelidas, estimuladas a terem um comportamento ditado pela regras sociais e de convivência além da mídia que propaga e divulga o consumo de álcool como algo positivo, onde jovens se divertem felizes e contentes: seus belos corpos e alegria contagiante nem de longe corresponde a realidade de quem vive o drama de ter um familiar ou mesmo ser vitima direta do alcoolismo. O álcool, ao contrário do que é apregoado, é um droga pesadíssima e seu uso continuo leva a degradação física, mental, espiritual e social. A perda de auto estima, de amor próprio, de dignidade e auto respeito são apenas alguns dos aspectos negativos e perniciosos além das discussões, do desequilíbrio nas relações sócio afetivas, no ambiente de trabalho, no seio familiar e social. A pessoa se transforma num membro improdutivo da sociedade e sua vida torna-se em todos os sentidos e aspectos totalmente disfuncional. O  mesmo perde uma das mais preciosas faculdades de todo ser humano: o direito de fazer escolhas. Não tendo mais o poder de controlar a própria existência, se torna dependente da substância, de pessoas, lugares e principalmente de seu próprio comportamento insano e auto destrutivo. É interessante notar que um dos efeitos mais deletérios ocorre na personalidade do indivíduo, como passou anos se escondendo atrás do uso de substâncias que alteram seu humor, ele é incapaz de lidar com a vida como ela é: não amadureceu, pois não se confrontou; não se deu a oportunidade de crescer perante os desafios e adversidades normais da existência: preferiu fugir, se esconder, interromper seu processo evolutivo para ceder aos apelos imediatos do instinto e do prazer. O seu auto engano, a sua imaturidade e principalmente suas vontades, de origem egocêntrica, tirânica e individualista o levou a cometer os mais excêntricos abusos e excessos. Incapaz de olhar para si mesmo sem o véu das sensações promovidas pelas drogas, o mesmo se habituou a viver numa cortina de ferro, que só pode ser aberta mediante uma auto avaliação honesta, para tanto é preciso ter a mente aberta e uma dose generosa de boa vontade. Um dos maiores prejuízos sofridos por quem fez ou faz uso de qualquer tipo de substância é o déficit no seu coeficiente emocional. O mesmo não possui as ferramentas necessárias para lidar com os problemas que surgem no cotidiano da vida de qualquer pessoa, procrastina aquilo que deve ser feito no aqui e agora. Isto pode ser percebido no adiamento daquelas tarefas que comumente achamos chatas, pequenas e monótonas, como arrumar a cama, estender a toalha, arrumar as gavetas, colocar as coisas em ordem. Levando para aspectos mais relevantes da vida podemos perceber que se trata essencialmente de um pessoa que não sabe cuidar de si, que possui descuidos com seu aspecto pessoal. A maioria dos dependentes são pessoas imaturas e irresponsáveis que possuem a estranha mania de culpar pessoas, hábitos e lugares pelos seus fracassos, não assumem as rédeas da sua vida, são os primeiros a apontar e a fazer críticas ao estado, a família e a sociedade. Eternos insatisfeitos buscam a causa de seus problemas no exterior, se preferível, bem longe de si próprios, não passa pela suas cabeças que a causa de tantos males, insucessos e fracassos resida ao contrário, bem perto, dentro deles mesmos. Se tornaram mestres da manipulação, anos convivendo com uma farsa que acabaram por se tornar a própria, vivem sob a máscara do orgulho e da prepotência, arrogantes, se julgam melhores do que realmente são e vendem a imagem de serem possuidores de grandes virtudes quando na verdade sofrem de um terrível mal: a adicção.  O seu comportamento é totalmente modelado pelas convenções externas e não possuem parâmetros internos para auferirem seu auto valor. Caem repetidas vezes em avaliações errôneas sobre si mesmos e sobre as pessoas a sua volta, projetam suas insatisfações e não possuem nenhum pudor em apontar os erros e defeitos dos outros e da sociedade. Não possuem a honestidade para fazerem uma auto análise sincera, de reconhecerem em si mesmos os seus defeitos, não possuem a coragem e a lucidez para se auto criticarem, são verdadeiramente cegos em relação ao universo interno de si mesmos. Não se conhecem, por isto julgam, e ao julgar se sentem superiores somente para ocultarem a sua própria inferioridade, que se viesse a ser descoberta poderia distanciar aqueles que são objetos de suas atenções e mantenedores de seu estado de espírito doente, carente e deplorável. É possível a toda pessoa que sofre deste mal se recuperar desde que peça e aceite ajuda, desde que possua o real e sincero desejo de parar de usar. O uso deve ser interrompido imediatamente, e não há escolha: a abstinência deve ser completa e total. Uma para eles é muito e mil não bastam, uma vez que tenham ingerido qualquer quantidade de qualquer substância por mínimo que seja, já basta para desencadear a abertura de um ciclo vicioso marcado pela obsessão e pela compulsão de usar. A obsessão corresponde ao aspecto mental da doença: a sucessão de pensamentos e ideias relacionadas ao uso. A compulsão ao aspecto físico: uma vez que se inicia o uso não consegue parar. É uma doença com um poder extremamente auto destrutivo, de grama em grama de bar em bar o usuário vai cavando com suas próprias mãos o seu fundo de poço. Muitos acreditam que somente ao atingir este nível de completa destruição o indivíduo se rende e busca de fato as vias da recuperação. Muitos permanecerão no auto engano justamente pelo fato de não presenciarem e não atingirem este nível, pois sua doença se oculta na aparência dos jogos sociais, profissionais e familiares. Como possui relativo equilíbrio e não sofreu nenhum dano e perda grave acredita-se detentor do controle e dono de sua própria vida, ledo engano. Muitos não precisaram chegar ao fundo de poço para reconhecerem que possuíam sérios problemas com as drogas, inclusive o álcool, bastou uma auto analise sincera para poderem admitir que eram impotentes perante o uso. Isto varia muito, de pessoa para pessoa, pois é muito difícil definir e estabelecer, como foi dito acima, os parâmetros para afirmar que uma pessoa é realmente dependente. Um dos melhores caminhos para aqueles que querem e podem se tratar, é o encaminhamento as comunidades terapêuticas que ofereçam tratamento especializado baseado nos doze passos da irmandade de Alcoólicos Anônimos e Narcóticos Anônimos. Os passos se resumem em princípios espirituais que se postos em prática levam o indivíduo a ter um contato consciente com Deus e a ter uma vida positiva, saudável e produtiva. É de suma importância as frequências regulares as reuniões. A prática do programa possibilita um crescimento efetivo e satisfatório. É possível perceber a mudança em questões de dias: o físico é o primeiro a manifestar as diferenças e a adoção de novas ideias e princípios provoca uma mudança na mente, que passa a canalizar suas energias para a recuperação. O espiritual é totalmente renovado pois há uma mudança significativa na sua personalidade, ou seja, o mesmo além de evitar pessoas, hábitos e lugares, procura novas pessoas, novos ambientes e novos hábitos que além de agregar valor acrescente algo positivo em sua vida. É uma mudança que se dá paulatinamente, dia após dia. As vinte e quatro horas são adotadas como meio para aliviar o peso do passado e o medo do futuro: é uma medida terapêutica para que o indivíduo possa exercitar sua liberdade diária, sem perder o foco e a diretriz do essencial, que é não usar, custe o que custar. Um adicto limpo em pouco tempo colhe os benefícios da sua abstinência. Além das pessoas a sua volta notarem a diferença, ele recupera dia após dia a sua liberdade e sobretudo a sua vida, que se torna alegre e divertida sem necessitar de fazer uso de nada, pois já tem tudo: a própria vida.

perpétua poeira
 no baú
dos sonhos

assimetria
de sentimentos
passados

loucos,
surdos,
desventurados

pequenos surtos
vendidos
por ambulantes

traumas varrem
minhas eternas
sequelas

nos escombros
do tempo
vasculho miragens

pilhagens
de memórias
estendidas
no varal
da vida

lavo
minhas máculas
no tanque
da existência

varro
a poeira
do desanimo

limpo
a gelatinosa
ideia
do fracasso

aceito
e acolho
a luz do dia

nos refolhos
da alma

surgem
as caravelas
da coragem

os fantasmas
da aurora

os desatinos
de outrora

a espera
de alguém

experimento
o vazio
dos dias

no silêncio
das horas

na imensidão
da saudade

nos oceanos
da vida

cicatrizes
abertas

ações
curam
feridas

alguém
parte
em busca

de tesouros
longínquos

em terras
estranhas

profundos
abismos

seres
desconhecidos
entoam
líricos hinos

fantasiam
as dores

mitificam
pecados

adornam
virtudes

enterram o ser
na virtualidade
do momento
pregresso

pressinto
o prenúncio
da carne

algema
invisível
que se
rompe
nos delírios
concretos
da noite

açoite
de desejos,
martírio
da vontade

estradas
repisadas
pelo caos

amaldiçoam
os bêbados
o trepados
e os sóbrios

sarcasmo
inerte
da matéria

os loucos
respiram
a margem

descansam
da cidade

suas retinas
viajam

nas dimensões
do ócio

nos abrigos
invisíveis
da alma

as sutis
sensações
do agora

navegam
na nostalgia
dos mares

respiram
a solidão
dos oceanos

acenam
alegres
para suas
próprias
dores

despedem-se
da humanidade
seu último
resquício

se despem
do imediatismo

da úlcera
suprema

vivem
no agora
livre
e fugaz
nada demais

ao homem
plantado
no chão

das convenções
e das certezas

cheio de si
e de outros
iguais

na mesmice
imposta
por suas
vistas

perece
o grito
sufocado
pela
aparência

se submete
ao crivo
e ao dito
dos dilemas!

ser
ou ter
eis
a questão!

 
 

talvez seja escravo da tristeza
ou mero servo da saudade
o que reside em meu peito
é a presença da vontade

toco o céu das cores loucas
dos tons cinzas de prata
o dia se despe, se despede
resta a noite, a madrugada

nem se quer por um momento
deixo de em ti pensar
será porque não me lembro
ou porque não sei amar

tanto faz se este verso
faz para ti algum sentido
ninguém no mundo sabe
a dor que no agora sinto

as palavras são pequenas
não podem expressar
a saudade dilacera
entristece o meu olhar

queria ser uma ave
para o céu atravessar
em um segundo estaria
pronto para te amar

os meus versos são simples
são escritos com verdade
o sentimento é verdadeiro
traiçoeiro como a realidade

sua presença na memória
me faz sempre despertar
menos um dia se aproxima
da hora de te beijar

seu olhar é algo doce
que eu gosto de fitar
ficaria a tarde inteira
somente a te observar

minha felicidade é simples
bem pequena e vulgar
está na sua companhia
no seu jeito de ser e estar

a longa distância me devora
me leva contigo a sonhar
não existe nenhum remédio
só me resta somente esperar


sinto vontade de te ver
somente lhe abraçar
contemplar a sua face
o brilho do seu olhar

é querer só estar perto
sem nada ter o que falar
ouvindo manso o silêncio
nós dois a se completar


ficaria a vida inteira
escrevendo apaixonado
só eu sei como sou feliz
por ter você ao me lado

o amor é uma semente
no coração semeado
cresce assustadoramente
em solo apaixonado

estes versos singelos
eu fiz para você lembrar
que existe um homem louco
pronto para te amar

olho agora para o céu
imenso e estrelado
faço apenas um pedido
permaneça do meu lado
 

As posições políticas das pessoas e a superficialidade com que eles estão recebendo a presença da candidata Marina me assusta, não esperava este surto coletivo e esta suposta tábua de salvação, de todos os candidatos ela com certeza é a que eu mais temo, nem tanto pela falta de experiência mas principalmente pela falta de conhecimento, uma pessoa que não refletiu seriamente sobre o setor previdenciário, que não consegue defender com unhas e dentes o seu posicionamento perante o agronegócio, que chegou a fazer parceria com políticos suspeitos e com inegável passado condenatório, não me enche os olhos, defender a Dilma é a mesma coisa que defender um crime que foi cometido bem diante dos meus olhos sem nenhuma justificativa plausível mas entregar de bandeja a refeição e o destino político do país nas mãos dos tucanos é algo impensável e desprovido de bom senso, infelizmente somos reféns da mediocridade e da ausência de pessoas sérias e dispostas a realizar algo relevante em prol do país, nós brasileiros, temos uma vaga noção da política e em sua grande maioria desconhecemos os verdadeiros governantes que regem o país, não digo só as empreiteiras, mas os banqueiros, industriais e uma significativa parcela da mídia, enquanto adotarmos uma postura de conivência e submissão aos ditames impostos por este modelo de globalização os tentáculos do capitalismo tendem a esmagar a maioria da população que se contenta em reproduzir e se enquadrar nos moldes estabelecidos, os próprios IFs e UFs são meios de propagação da ideologia alheia, enquanto não formos verdadeiramente incentivados a criar e a pensar uma solução nova para o país estaremos destinados ao fracasso, tudo perpassa pela novela, pelos meios de comunicação, pelo estilo musical, pelos valores, pela religião, a fé cega do povo descortina um horizonte sombrio a todos os servos da reflexão e que fazem jus a faculdade de pensar, gostaria de ter todas as soluções em mãos, ao invés de apontar os erros e as injustiças propagar as soluções, mas não existe nenhuma intervenção mágica e de fácil resolução, levará tempo e muita paciência será necessária, pois ainda iremos assistir de camarote alguns espetáculos no mínimo bizarros, a competitividade, a especulação em torno da economia, as respostas simplórias e reducionistas que exemplificam um profundo desconhecimento do assunto pode ser contemplado nas respostas evasivas "o problema é a crise internacional" "os juros, a inflação" na verdade são vários fatores, optamos pela malha rodoviária e ignoramos veemente as ferrovias, ainda somos vitimas dos grandes monopólios de terra e de renda, uma minoria hipócrita que não acredita e nunca acreditou na melhoria efetiva do país, que sempre se beneficiou da esfera privada, que nunca se privou de nada em beneficio do próximo, que sempre se julgou superior e intocável pelas leis vigentes em nosso país começa a se render aos fatos de que futuramente as pessoas possam novamente reivindicarem seus direitos à força, temem a elevação da consciência e lançam um olhar perverso sobre a realidade, enquanto o povo permanecer escravizado, lutando pela sobrevivência com baixos salários e assumindo a responsabilidade por toda mão de obra pesada iremos assistir passivos a passagem de bravos espíritos que tão somente exemplificam e nos mostram os verdadeiros valores que deveríamos admirar e respeitar, a agricultura familiar, a abertura de novos mercados, o investimento maciço na educação de base, a revisão dos bens exportados, a valorização do poder de compra e venda no interior do país, a descentralização do poder, as medidas cabíveis para impedir o avanço da inflação, como o investimento em outros meios de transporte e energia, a preocupação da sustentabilidade, a criação de novos modelos de governo, que façam o povo enxergar que não precisamos de governar e sermos governados, precisamos sim arregaçar as mangas e nos dispor a fazermos nossa parte, a crença passiva de que alguém será capaz de resolver todos os nossos problemas num passe de mágica é o que nos mantém cativos de nós mesmos, prisioneiros do tempo e escravos da esperança, por outro lado, sou motivado a enxergar as mudanças operadas em minha própria vida, se por um lado consigo visualizar as possíveis mudanças que podem e devem ser operadas no interior do sistema por outro ouso admitir que prefiro adotar a humilde postura de quem só pode e deve mudar a si mesmo, mesmo que as coisas piorem e os problemas se multipliquem existem outros meios e formas de mudar o mundo que vivemos, cada qual em sua área, exercendo sua atividade, buscando dar sempre o melhor, acredito que um dia iremos viver num país decente, sem ares de superioridade ou comparações injustas e descabidas com os países de primeiro mundo, mas afirmando nossa identidade, reconhecendo nossos valores e nossa capacidade de nos auto mantermos pela nossa criatividade e pelo lento e contínuo desenvolvimento de nossas potencialidades, contamos com pessoas criativas, que acreditam na mudança, que operam silenciosas a verdadeira revolução, a de consciências, pessoas que não teimam em permanecer fiéis aos princípios esposados, que vivem em função daquilo que acreditam e creem ser correto, a ética, o respeito, a honradez, conheço muitas pessoas que não abrem mão de serem reconhecidas como honestas, que ainda se fiam na palavra e no fio de bigode, espero que possamos presenciar a renovação desta atmosfera pois a atual me espanta, me provoca medo e náuseas, a impotência perante os candidatos que futuramente serão eleitos é a minha maior frustração enquanto cidadão brasileiro, a obrigatoriedade de votar ou anular por falta de opção fere os princípios de cidadania e dignidade, é o ápice deste sistema circular que não deixa brechas nem buracos para os excluídos e os marginalizados, nos resta esperar e agir em prol da melhoria efetiva em nossas vidas, sabendo que a verdadeira mudança começa em nós mesmos.

Os ratos se escondem
Onde os ratos comem
Os ratos estão espalhados

Ratos com bigodes aparados
Ratos com retratos alterados
Ratos na busca por aliados
 
Os ratos são sempre ratos
Só fogem na presença dos gatos

Não se contentam
com as sobras dos pratos
onde passam deixam rastros
os ratos estão conectados

Alguns dizem ser de oposição
Querem o poder pela ambição

Ratos desfilam imponentes no senado
Caminham livremente no plenário
São vereadores, prefeitos e deputados

Os ratos possuem um terno impecável
Um discurso eloquente insofismável
Os ratos possuem um apetite insaciável

Os ratos moram ao lado
Dizem estar com o país preocupados
Querem sempre mais do que o necessário

Os ratos são sempre ratos
Só fogem na presença dos gatos...

mais um
avião alvejado
sigam os rastros
dos misseis
motivados
pelos mesmos
traços
robô teleguiado
velhos conhecidos
tolos artifícios...

histórico retrato
nunca existiu
a paz
no mundo cenário
bélico aparato
perfil mercenário
GUERRA
lucros
oriundos
de planos
obscuros
cadáveres
são notas
cotadas
em dólar
projéteis
de cifras,
rajadas
de poder
bombardeios
da ambição
estratégias
do genocídio
da vil maldição
paz armada
guerra perpetrada
hienas desvairadas
crianças mutiladas
fábrica de armas
humanos são números
multiplicam-se os zeros
das cifras do império
nada restará
além da triste lembrança
resta a esperança
de um dia acordar
em outro lugar...

O choro melancólico dos mortos que sentem sua sede de sangue crescer assustadoramente me compele a escrever sobre assuntos mórbidos e tétricos, num primeiro momento, os mortos representam os valores que continuamente vão sendo esquecidos, até mesmo os valores conferidos ao comportamento de alta estirpe, vão sendo diluídos perante o imediatismo fugaz, a capacidade de captar os sinais emitidos pelo outro vão sendo desmembrados pelas novas tecnologias que nos condicionam a desviar o olhar, a evitar o contato, a arte do encontro, do desvelar-se, do abrir-se com, está sendo paulatinamente substituída por uma valorização da persona enquanto sujeito que se representa a si mesmo a partir de sua própria fragmentação, oculta-se a inteireza e reduz a beleza do ser à construção de imagens previamente selecionadas para servirem como parâmetros dos seus gostos e atitudes, as fotos expostas no face, os gostos estéticos e nossos atos, estão sendo resumidos em atos fotografados e logo em seguida expostos, a cultura da exposição, se revela portadora da auto miopia coletiva que ignora os aspectos mais sombrios e insanos da nossa mente, as doenças psíquicas ocultam-se na febril necessidade de se estar conectado ao novo, de ver a construção de sua personalidade atrelada ao moderno, ao cool, somente como estereótipo, como se um bocado de barba e um óculos fundo de garrafa já fosse o suficiente para assumir os ares de saber que exige a sociedade pré-fabricada, os poemas são eleitos como mercadorias a serem comercializadas no palco da teatralidade social, com lugares e pronuncias esperadas, a inspiração do momento cede lugar à pré fabricação de si mesmo e de sua necessidade de se mostrar detentor de um conhecimento absoluto mas totalmente destituído de valor sólido, concreto, nas miragens virtuais, constroem-se pontes de simplificações, de adereços, o conteúdo estético aprovado é o valor conferido aquele que se manifesta abertamente defensor do futuro e da permanência das novidades, a novidade é um segundo da aprovação do suposto brilho alheio, a personalidade sendo fragmentada, não resgata a sua memória e sua raízes vão sendo esquecidas na tentativa de preservar a auto imagem moderna e imaculada, os "velhos acontecimentos" vão sendo arquivados nos porões de algum pub qualquer, enquanto as máquinas se tornam o viés de comprometimento com o novo, o lirismo bucólico de nossos ancestrais respiram a margem desta nova natureza humana, e qualquer contemplação e visão diferenciada já tende a ser interpretada como devaneios de um sujeito com tendências proféticas e messiânicas, repousa a verdade em algum site ou canal de comunicação, cabe aqueles que ainda prezam olhar nos olhos estender sua presença para além do olhar mórbido e perdido do outro.



Bem vindo ao nosso planeta, meu nome é Gino e não posso ser considerado um ser humano típico, acredito que se vocês tiverem interesse em conhecer e estudar algum exemplar de nossa espécie mais avançado deva procura-lo em outras regiões do planeta, talvez na Alemanha ou na Índia, se derem um pouco mais de sorte, no Tibet. De qualquer forma posso lhe fornecer um resumo do nosso modo de vida, nossos costumes, hábitos e interesses. Primeiramente, vale a pena analisar algumas características imanentes ao nosso Planeta. Precisamos de certos elementos indispensáveis a nossa sobrevivência, nosso corpo é constituído de tal forma que precisamos das condições oferecidas por este Planeta, o oxigênio por exemplo é um de nossos gases vitais, a água e os alimentos são imprescindíveis para a manutenção de nosso corpo físico. Em relação ao nosso corpo, o Planeta, sem dúvida, possui dimensões gigantescas, mas em relação ao Cosmos é bem pequeno, um dos menores do nosso Sistema Solar, mesmo assim, ainda temos muitas dificuldades de nos organizarmos e de vivermos uma vida em sociedade. Somos seres incapazes de agir de forma autônoma e livre, por isso ainda nos encontramos sobre a tutela de um aparato burocrático chamado Governo. O Governo nasceu da necessidade de centralizarmos o poder, porém, quem conhece sua essência, sabe que o verdadeiro poder se encontra hoje fora dele mesmo, na verdade, elege-se uma pessoa para defender o interesse de todos, porém essa pessoa só existe para desviar a atenção daqueles que realmente possuem o poder de operar uma brusca transformação na realidade. A maioria das pessoas desconhece seu próprio poder de mudança e transformação, apesar da vinda de alguns seres iluminados de outras esferas, isto não foi o suficiente para compreendermos que também somos deuses, é quase um pecado pensar que Deus somos nós, devido a necessidade que temos de adorar, louvar e agradecer, pois a vida aqui é tão difícil que as vezes parece que alguém nos criou mais como um favor do que por amor, criamos as religiões. A religião seria o instrumento utilizado para percebemos o Deus em nós, mas infelizmente sua missão foi deturpada e hoje existem várias. Num planeta que prima pela diversidade é normal, compreensível, aceitável e até mesmo desejável, que existam várias tipos de manifestações religiosas, no entanto, as mesmas ao invés de libertarem as consciências, as aprisionam, num mundo de penas e recompensas, castigos e compensações. É interessante notar que o lugar destinado aos condenados, chamado inferno, foi descrito com uma riqueza de detalhes impressionante, porém o mesmo não foi realizado em relação ao céu, parece que bem poucos foram capazes de habitá-lo, e geralmente é descrito como um lugar monótono, com seres alados tocando harpa, os anjos seriam membros de alguma banda musical e Deus o regente. Mas existem somente as leis dos homens, pois até a lei de Deus foi criada pelo próprio homem, apesar de alguns homens ainda duvidarem e matarem em nome do seu suposto Deus. Esta ideia de Deus nos levou a cometer várias barbaridades durante o decorrer da nossa história, e todos que por aqui passaram e esposaram as virtudes foram perseguidos e maltratados, um cabeludo de nome Jesus, dizia ser filho de Deus, e na sua arrogância e prepotência disse que só podíamos compreender e chegar a Deus através dele, pois ele era o enviado, o escolhido, disse coisas bonitas até, mas o mesmo não nos ensinou o principal, realizar os milagres: dai a Cesar o que é de Cesar, para ele que multiplicava os pães era fácil, mas para nós não é tão simples assim. Dizem que viveu andando feito um hippie com um grupo de doze pessoas e onde chegava era aclamado, curou pessoas, andou sobre as águas, realizou uma série de milagres e foi crucificado, sua morte pode ser lembrada em cada badalo tocado na igreja, mas não era de todo são, tinha um papo meio esquisito, queria que as pessoas bebessem seu sangue e comessem da sua carne, até hoje não entendi muito bem esta parte, de qualquer forma, para evitar problemas e não ser excomungado como herege, te aviso: evite falar mal deste homem, isto pode te trazer sérias consequências, as pessoas podem começar a te olhar de lado e até ferirem e mal dizerem em seu nome, dizem que ele veio ensinar o amor, mas seus seguidores não praticam isso, ao contrário, parecem ser os mais revoltados e ressentidos com as coisas que aqui ocorrem, pois na visão deles, o mundo é de Satã e todos que se sentem felizes e satisfeitos pertencem a Ele, então se possível, quando estiver no meio deles, não se sinta muito feliz por habitar este planeta, pois a felicidade para eles não é deste mundo, e sim de outro, que até agora desconhecemos. E outra coisa importante, tudo que é bom, é pecado, possuímos um veículo físico que nos dá fantásticas sensações de prazer, mas dizem que é proibido senti-las, parece um sadismo cósmico universal, ou seja, não podemos nos sentir completamente saciados: comer demais é gula, transar demais é luxuria, dormir demais é preguiça, se preocupar excessivamente com o corpo é vaidade, o desejo de adquirir bens materiais e de acumular riquezas é avareza e ter orgulho de si mesmo é soberba, se bem que muitos seguidores modernos do cabeludo, dão testemunho vivo da mudança material operada em sua vida e praticam todos estes “pecados” sem qualquer prejuízo na sua crença. O principal: o homem não pode salvar a si mesmo, é preciso de um outro alguém para fazer isso, então nem pense em dizer que você tem o mesmo poder de conversar com Deus e os espíritos como fez Jesus: poderá ser sua sentença de morte. Dito isso, vale a pena você saber que aqui neste planeta valorizamos muito um pequeno pedaço de papel, geralmente esverdeado, feito de papel moeda, as pessoas geralmente se movem em função dele, tudo é obtido mediante sua presença, sem ele, nada feito, nem um pedaço deste planeta será conseguido sem isso, veja bem que loucura: olha o tamanho do Planeta, ele é de todos, mas uns poucos conseguiram convencer bilhões, eu digo bilhões de pessoas que eles eram os donos,  e assim ao invés de lutarmos pelos nossos direitos, passamos a vida trabalhando para comprar um pedaço de terra que já era para ser nosso, isto é uma das coisas mais dificeis de entender. Caro Et, se você for um ser muito inteligente, bonito e rico, evite falar de suas conquistas e selecione suas amizades, pois muitos poderão se aproximar de você única e exclusivamente por interesse, poderão sorrir na sua frente mas por dentro estarão mortos de inveja, loucos para fazer as coisas que você faz e saber o que você sabe, então, prefira a simplicidade, não ostente muito, evite chamar a atenção, para que você não seja descoberto, ao menos assim, terá reduzirá drasticamente o número de pessoas falsas e desonestas a sua volta. Não diga o que pensa e evite entrar em assuntos intergalacticos, mesmo sendo morador do cosmos, habitante do espaço, como somos, eles podem querer te internar numa clínica de loucos, infelizmente nós, pobres terraqueos, temos uma compreensão estreita e limitada da nossa origem cósmica, finja ser daqui mesmo, é mais fácil, este papo de disco voador já deu no que tinha que dar, não tem mais nada para ser descoberto, não é mesmo? Eles preferem pensar assim, outra coisa importante, nada de brincadeiras telepáticas, não conduza os seres a sua vontade, deixe-os livres, evite exercer o controle mental, apesar de grande parte ainda não acreditar e nem mesmo vislumbrar esta possibilidade prefira abrir e fechar a boca, exteriorize suas emoções, seus sentimentos, através das palavras, para a maioria é mais fácil, simples e prático, mas cuidado com a língua, com o decorrer dos anos você pode ser tentado a ter o péssimo habito de falar demais, então seja vigilante. De vez em quando, se dirija aos centros espíritas, frequente religiões mais abertas e será possível perceber a existência de seres da sua raça em seu meio, ali exerça todo seu dom, com certeza será muito bem aceito e será bem vindo, felizmente existem pessoas que conseguem perceber a sua presença, estas será bem mais difícil, quiça impossível você engana-las. Os homens passam a sua vida exercendo uma atividade que não lhes proporciona prazer, isto chama-se trabalho, e bem poucos fazem aquilo que gostam, é difícil encontrar alguém realmente feliz, pode ser que no primeiro momento ele justifique pelo ganho financeiro, pela número de horas, enfim, isto é muito estranho. Na verdade, precisamos plantar para colher, esta é uma lei, mas infelizmente não estamos dispostos a exercer esta atividade, esta é destinada aos agricultores, pessoas que lidam diretamente com a Terra. As profissões são várias, a remuneração não é avaliada pelas horas e sim pelo tipo de serviço, e pasme, quanto mais pesado o serviço, menor o salário, é de uma contradição absurda, agora não me pergunte porquê, até hoje não consigo entender, é possível você se libertar através da arte também, mas tome muito cuidado com todo e qualquer artista, cientista e filosófo, seja ele escritor, músico, ator, pintor, físico, químico, engenheiro entre tantos, esta espécie se julga evoluída mas tende a reproduzir os mesmos moldes burgueses estabelecidos pelos capitalistas, são extremamente preconceituosos, não sujam suas mãos com a terra, não constroem casas, não se misturam com a massa que julgam inculta, costumam julgar as pessoas pelo estilo de música que ouvem, pelo tipo de filme que assistem, enfim ignoram o sentimento e valorizam em demasia o conhecimento, vivem num mundo de abstração e fantasia, prefira o homem bruto do campo ao homem delicado das cidades, tenho certeza que irá aprender muito mais, talvez seja por este tipo de distanciamento do homem dito culto, do homem considerado vulgar que estejamos caminhando em passos de tartaruga.    

perdido de mim,
eu me acho,
perdido de ti,
eu me perco,
se quer me ter,
um segundo,
é preciso se perder,
sem medo,
nada em troca,
lhe peço,
somente exijo,
segredo,
tudo que quero,
é bobagem,
perto de ti,
reconheço,
tudo aceito,
me entrego,
nada questiono,
me apego,
se tem um fim
seu começo,
tudo carrego,
sem trauma,
de nada que fiz,
me esqueço,
nada tenho a ver
com esta culpa,
tudo está em mim,
em ti e em algo mais,
atravesso a rua
o espelho,
preciso de sua
ajuda,
nada em mim
fora reconheço,
tudo está meio
mudado,
menos o caos
do desacerto,


Quisera ser teu
por todo tempo
quiçá por toda
eternidade

não existe
espaço
nem tempo...
para matar
esta saudade

me entrego
por aquilo
que sinto

muito mais
por aquilo
que penso

existe algo
mais bonito
do que o puro
sentimento?

de que adianta
andar de mãos
dadas com a mentira
ignorando a realidade

uma hora o peito
explode e a dor
eclode sem necessidade

é sintoma de doença
disfarce da vaidade
reprimir o que se sente
renegar nossa verdade

te ter por um segundo
foi acréscimo de bondade
mas te ter além do mundo
é um brinde da eternidade!


Infinita parecia a madrugada deste dia! Dispersas pessoa...s transitavam em meio a espectros zombeteiros que vampirizavam-lhe a energia vital! Um forte cheiro de fumo saia pelas portas do pequeno recinto que aparentemente estava vazio. Na porta um cartaz denunciava tratar de algum comércio. Se mostrava incapaz de abrigar muitas pessoas, no entanto bastava descer as primeiras escadas e logo nos depararíamos com um grupo movido pelo etílico sabor embriagante que as faziam dançar, amar, sonhar quem sabe... Talvez aquelas pessoas ignorassem a lânguida vertigem que sentem aqueles que através de uma postura sincera diante da vida possuem a capacidade de enxergar além da efêmera aparência! No primeiro dia que pisamos nesta terra de ninguém sentimos uma profunda admiração pela sua arquitetura, pela sua história, pelos mártires aleijados pela doença e pelo esquartejamento, pelos poetas apaixonados por suas Marílias, pelo resplendor que fulgura nos coqueiros de Santa Efigênia. No entanto estes fatos me levaram a entender, num súbito instante de contemplação extática, o vazio que muitos corações assim como o meu abrigava! Devo admitir que Ouro Preto gritava dentro de mim através da voz de Bernardo Guimarães:" quem do presente aos brados não acorda, também glórias passadas não recorda". A neblina banhava-me a face pálida e surpresa, negligenciava que a cidade era a extensão de mim mesmo e assim como em frente a um espelho me envergonhei por vê-la nua! Aspectos repugnantes da história afloravam de forma natural e espontânea, no decorrer de minha jornada presenciei a dor dos escravos e compreendi a lúgubre fugacidade do tempo e deste modo material cuja manifestação é dependente de nosso espírito! Enfim, percebi que realmente havia nascido à 10.000 anos atrás. Cores superpostas nos tetos adornados de minha pensante cabeça refletia um céu de indagações e desejos: o que as pedras deste porão querem me dizer? Parece balbuciar o sofrimento inenarrável de um negro escravo que com mãos de ferro e costas de aço construiu esta muralha infernal que anseia por ser lida e decifrada! Vejo em sua superfície áspera e fria visíveis marcas de um antigo, porém conhecido ancestral, cujo instinto de dominação aliado a sua desmedida ambição exerceu aqui, nas terras ameríndias, seu brutal apogeu. Imagens translúcidas de um passado imortal e irremovível no tempo e no espaço, vive na retina dos que possuem olhos para ver e ouvidos para ouvir a sabedoria peculiar e profana dos africanos e dos índios que subiam, e hoje invisíveis ainda sobem, esta ladeira que nasceu num sonho de rei Chico! Alforriados com bravura e destemor se viam constrangidos a ceder sua força em troca da liberdade!
Quantas vezes a Noite não derramou copiosas lágrimas na fronte da mãe negra que se via possuída por uma força que lhe permitia cuidar do filho branco, sabendo que uns de seus filhos fora vendido enquanto outros permaneciam do outro lado do oceano. Carregava docemente em seu colo o inocente bebê branco que num futuro bem próximo se transformaria em seu aprisionador e veria suas filhas tão somente como uma fonte inesgotável de prazer e perversões. Os negros daquela época nasciam póstumos assim como o brilho reticente, no longínquo horizonte, da luz das estrelas que também nascem já mortas pela ilusão. Fitava admirado este cortejo solene e assustador de estrelas e de escravos, cuja história vagarosamente penetrava em minha alma fazendo com que me avizinha-se mais do meu coração do que de minha mente, pois se ser forte é não ter compaixão dos pequenos e humildes, preferível ser um fraco que sente a dor do outro do que um forte insensível e impermeável por uma intelectualidade fria e racionalista que assim como a história nos relata só serviu como instrumento passivo de uma vontade destituída de amor. Avizinhando-me das estrelas e dos escravos senti-me reconfortado e novamente reconciliado com o universo, convencido de que existe algo além desta cadavérica dimensão umbralina. 

 
Sem ansiedade, sem neurose, sem projeções, sem vis ambições, aprender a conhecer, a estar, a ser, sem querer agradar, sem obrigação de amar, apenas querer estar perto, mais do que um simples objeto, um ser completo, sem depender do outro, vivendo, sempre aprendendo, na diferença, na singularidade, troca de experiências, de vivências, de realidades, espontaneidade, verdade, justiça dos verbos, amor... não é eterno, é simples no momento, o que quero, o que desejo, o que projeto, no silêncio fito, medito, observo, aprendo, hora de calar, hora de falar, expressar, sem ofender ou tiranizar, se libertar, das amarras, dos grilhões, dos medos e dos senões, de toda intriga, de toda pobreza, de toda tristeza, um misto de beleza, a pura riqueza, sua presença inteira, seu sorriso, seu jeito divertido, misterioso e esquisito, as vezes me sinto aflito, não minto, pressinto, as cartas estão na mesa, um pouco de destreza e de coragem, despir-se do passado, abrir-se ao inusitado, conhecer o diferente, de mente aberta e corpo fechado, disciplina, o que queremos para nossas vidas, projetos, planos e metas vindouros, longe de fulanos, sicranos, mau agouro, acredito no fascínio exercido pelo riso, pelo encanto, além do espanto, surpresa, pura gentileza, me sinto desafiado, a viver feliz sem ser dominado, censurado, não tem compromisso, mas teve um início, um beijo é um princípio, o sexo é necessário, união de corpos, de mentes, de espíritos, só por hoje entrego minha vida, que seja plena, simples e vivida com alegria, com uma dose generosa de amor para só por hoje viver bem longe da dor...


as estrelas, o luar
o brilho do sol já vem
amanhece o dia
aurora do bem

peço licença
à mãe Natureza
para seu reino
adentrar
...
peço a paz
a harmonia
a Pai Oxalá

uma reza,
uma oferenda
para Iemanjá

mamãe Oxum
na Cachoeira
me abençoar

na Floresta
peço à Oxóssi
para me guiar

guerreiro Ogum
pra proteger
e o mal afastar

quantas veredas
nesta vida
ainda terei
que passar

venho agradecer
a força, o axé
de todo Orixá!


O amor é uma fagulha
faísca que incendeia
pequena chama acesa
ilumina o coração
Dissipa toda tristeza
Esmorece a solidão
serenata de assobios
rituais de comunhão
energia que transcende
o universo em expansão...
força invisível imanente
presente na Criação
logos ativo do verso
motivos de uma canção
prisioneiro do encanto
escravo cego da paixão
perder-se no horizonte
é sua maior missão
desbravar o sentido
dizendo sempre sim
mesmo diante do não!

O mundo está passando por uma sutil transformação, estamos sendo preparados para a vivência em outras dimensões, quiçá em outras galáxias, tudo está sendo feito e elaborado mediante o plano divino. No universo, nada se perde, tudo se transforma. O grande número de relatos de eventos paranormais e de visões de óvnis se alastra por todos os cantos do planeta, não existe nenhum povo ou nação que não tenha sido contatado. Todos serão preparados para as ocorrências futuras. Apesar de muitos ainda se encontrarem iludidos e perdidos pelos ilusórios encantos dos prazeres concedidos pelo seu modo de vida material, milhares despertam sob o suave acorde do regente oculto e universal. Terás em seu meio as mais palpáveis, concretas e visíveis manifestações da presença extra terrestre. A telepatia será minuciosamente estudada e decretada como a forma de linguagem universal dos novos tempos. Todos estarão ligados pelos laços invisíveis e inquebrantáveis do coração, no futuro não existirá nenhum ser predisposto a defender um estilo de vida primitivo e moldado por convenções externas e materiais. Tudo será trabalhado no interior, e a drástica mudança do padrão vibratório terrestre será o primeiro sinal desta era que desde dos primórdios se anuncia. Haverá sim, como em todo processo de crescimento, dores e preocupações, o desespero será imenso, mas é preciso compreender que a confiança irrestrita no Pai nos dará condições de enfrentar qualquer tipo de adversidade, nada teremos que temer, pois estaremos unidos no mesmo propósito, de expandir e cultuar o amor incondicional entre os seres. Os antigos laços que um dia nos uniram na mesma essência será resgatado e todos serão elevados aos seus devidos lugares, nenhum filho se perderá, apesar das oportunidades não estarem sendo aproveitadas da mesma forma. Cabe, àqueles que lerem esta mensagem, abrirem suas mentes e corações para esta realidade, pois que serão persuadidos a seguirem pelo caminho da evolução através de suas próprias percepções, nada será realizado mediante o emprego da força e da autoridade, tudo será feito da maneira mais simples e natural. Não será permitido ao homem terrestre viver eternamente enclausurado nos porões da ignorância, sendo refém do medo e da discórdia. Os aspectos fenomenológicos poderão ser estudados à luz da razão, e iluminados mentores, detentores do verdadeiro conhecimento saberão conduzir suas reflexões para os aspectos mais elevados da existência. Não temos tempo para perder com considerações infantis sobre a existência ou não de outros seres e de outros planetas, o intuito é fazer com que o maior número de pessoas possam pensar seriamente sobre estas questões, discutindo, estudando e principalmente analisando por si mesmo. A liberdade de pensar por si mesmo continua sendo a prerrogativa de todo estudo sério e metódico. Não existe nenhum tipo de imposição no reino do amor e apenas os mais inexperientes seriam capazes de defender semelhante desatino, nada restará além da certeza que teremos de sermos eternos viajores cósmicos, irmãos a caminho de um mundo melhor.  



Poderíamos enumerar diversos benefícios advindos do hábito de ler, entre eles destaco:

1)      Enriquecimento do vocabulário

2)      Melhora significativa na escrita

3)      Maior domínio da Língua Portuguesa

4)      Facilidade ao se expressar

5)      Fluidez no falar

6)      Aumento do fluxo mental de informações

7)      Expansão da Consciência

8)      Maior oportunidade de emprego

9)      Conhecimento de si mesmo

10)   Acréscimo de conhecimento

11)   Acesso a outros universos

12)   Dinamismo nas relações interpessoais

13)   Maior capacidade de abstração

14)   Construção da subjetividade

15)   Aumento da concentração

16)   Desenvolvimento da criatividade

17)   Faculta o exercício da imaginação

18)   Você com certeza será uma pessoa bem mais interessante, principalmente para si mesma.
Realmente, a leitura opera transformações em nossas vidas, costumo dizer que modifica inclusive o nosso código genético. Ler é uma atividade que além de provocar um imensurável prazer exerce o doce fascínio de nos levar a mundos encantadores. Em questão de segundos podemos estar na companhia de filósofos, poetas, artistas, cientistas, psicólogos, historiadores, biólogos, geógrafos, enfim uma série de pessoas que normalmente seria muito difícil travarmos um determinado tipo de “diálogo”. A leitura permite-nos percorrer os corredores da história, debruçar sobre uma obra literária de alto teor filosófico, percorrer os mundos e suas dimensões e para isso só precisamos de um pouco de boa vontade e mente aberta, o quê num primeiro momento pode parecer um sofrimento insuperável, num segundo se transforma num hábito, quase um vício que dificilmente pode ser extinto naquele que se vê seu portador. É lamentável a falta de iniciativa pública e privada na criação e formação de novos leitores. O livro abre portas, rompe fronteiras e abre um leque de possibilidades construtivas e inesperadas ao leitor. Pode ser a simples constatação de um fato histórico a leitura do horóscopo. Realmente é fascinante, benéfico e saudável exercitar a mente, estimulando a imaginação e exercitando a criatividade. Ler é algo que nos satisfaz, alimenta a alma, amplia nosso horizonte existencial e descerra as portas da ignorância fazendo com a luz da razão entre nos domínios mais obscuros e sombrios de nossa mente. É um processo catártico que nos funde a uma série de universos que se desdobram num processo lento, seguro e o principal: realmente necessário. Ler é crescer, ampliar e expandir nossos horizontes, é nos desenvolvermos enquanto seres pensantes e portadores das mais diversas faculdades. Ajuda no desenvolvimento de nossas potencialidades latentes e já afloradas. É um manancial de sabedoria e riqueza que oculta em seu interior a mais singela beleza e o verdadeiro sentido e significado que repousa em nossa essência. Pena que com o advento dos meios de comunicação em massa, em especial a internet, estejamos perdendo o hábito e o costume de nos dirigirmos as bibliotecas. Ainda carrego a nostalgia de ir até uma livraria e pegar o livro, cheirar, gosto deste contato com o objeto, a capa, as páginas, o brilho, a cor, é um conjunto envolvente. O ritual de marcar a carteirinha da biblioteca também é uma das coisas que não abro mão. Enfim, ficaria o dia inteiro discorrendo sobre esta atividade que com certeza só tende a nos trazer inumeráveis benefícios como citados acima. A leitura porém não é um instrumento interessante aos que desejam perpetuar o seu domínio opressor, pois forma, educa e esclarece. Uma massa culta com pensamentos críticos não aceita e não deixa ser manipulada de forma cega, passiva e omissa. A formação de leitores está intimamente associada a ideia da formação de um povo consciente, que indaga, reflete e questiona. A supremacia da ideia seria uma das melhores formas de sublimação da nossa energia e do embelezamento de nossa alma. Quem pensa discute, analisa e pondera, age menos por impulso e não permite ser docilmente conduzido por ideologias e maneirismos estranhos ao seu modo de ser. De todas as armas presentes em nosso mundo, com certeza a leitura é a mais poderosa na destruição da ignorância e na extinção da miséria intelectual dos povos. Mas vale a penar lembrar aos incautos: sabedoria é diferente de conhecimento e a mesma mão que afaga é a mesma que apedreja, ou seja, sua utilização deve ser sempre acompanhada de um conhecimento ético e moral, que permita ao seu possuidor a avaliação exata de seus atos e de suas ações. Toda iniciativa que não visa a libertação das consciências, aprisiona, escraviza e condena. Os grilhões da ignorância serão rompidos com os duros golpes da educação e da priorização de políticas públicas voltadas para a formação de novos leitores.Depois disto exposto fique o convite> LEIA, SEMPRE MAIS E MELHOR...

Total de visualizações de página

GINO RIBAS MENEGHITTI

Escritor, Filósofo, Poeta, Ensaísta, Político, Rapper, Dependente Químico, Militante Ativo do PC do B, Técnico Administrativo do CEFET, Membro de Alcoólicos Anônimos, Narcóticos Anônimos e Grupo Levanta de Novo. Ministra Palestras Gratuitas sobre Dependência Química e assuntos relacionados a Política, Educação e Cultura em Geral. Áreas de Interesse: Filosofia, Literatura, Psicologia, Psicanálise, Sociologia, Cinema, Música, Biografias, Dependência Química, Estudo das Artes e Religiões.

Blog Archive

Posts mais Lidos e Visualizados

Frases de Albert Einstein

A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original.

O único lugar onde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário.

A imaginação é mais importante que o conhecimento.

Se A é o sucesso, então A é igual a X mais Y mais Z. O trabalho é X; Y é o lazer; e Z é manter a boca fechada.

Follow by Email

Translate

Google+ Followers