latentes viagens

Este espaço é um experimento aberto, amplo, intuitivo e original. Liberto das amarras acadêmicas, sistêmicas e conceituais, sua atmosfera é rarefeita de ideias e ideais. Sua matéria prima é a vida, com seus problemas, desafios e dilemas. Toda angústia relacionada ao existir encontra aqui seu eco e referencial. BOA VIAGEM!

Gostaria de viver uma vida enchafurdado na ignorância: cego, surdo e mudo aos apelos emitidos pelo mundo e principalmente pela minha consciência. Talvez assim, parasse de pensar, por um minuto, na crise econômica, política, social e ambiental que se abate sobre este planeta. Vítimas de nós mesmos, somos reféns de nosso estilo de vida consumista, individualista e alienante. Escravos de nossas escolhas, nossos atos gravitam na órbita imediatista de nossos desejos, anseios e vontades. Incitados pelos estímulos, principalmente visuais, promovidos por hábeis empresas, interessadas única e exclusivamente no aumento indiscriminado de zeros em sua receita, somos bombardeados pela compra e venda de produtos de toda ordem, de todos os tipos, para todos os gostos, bolsos e idades. Nunca produzimos tanto mas mesmo assim a sombra da escassez ainda nos ronda, nos persegue e nos mata.  Talvez, um pouco de lucidez seja necessário para enxergarmos com mais clareza o quanto temos sido levianos, pueris e insensatos. Levados, por uma legião de ofertas, promessas e produtos, nossos bolsos, corações e mentes são preenchidos para logo em seguida serem esvaziados, principalmente de sentido, critério e significado. A vida resumida num árduo atrito entre forças que estranhamente se atraem e se repelem. O trabalho, auge da dignidade, ápice da existência, é ardorosamente defendido e disseminado como algo que nos enobrece, eleva e nos honra. Às humilhações sofridas neste mundo nos resta as consolações oferecidas em outro, e assim passamos por esta vida, desonestos em nossos atos, escolhas e decisões. Que não pesem as contas sobre a mesa e a segurança promovida pelos muros, cadeados e portas. No fundo ninguém se importa.

Faço rima, verso e prosa
poesia indecorosa
quantas vezes já quis ler 
O Nome da Rosa 

Minha mente é insana
o espírito proclama
um dia até julguei
que seria bom de cama

Pergunte minha dama
se ela ainda me ama
depois dos meus segredos
se existe algum drama

Por aqui há quem trama
se perde no jogo
a vida é um labirinto
tabuleiro cabuloso

Pense bem sua jogada
qual será sua tacada
será que estará vivo
para a próxima rodada

Já deram a largada
o bicho está solto
escolha seu cavalo
ou aposte de novo

O ritmo é nervoso 
convite para os manos
convoque todas minas
arquitetem os planos 

Demorei muito anos
para enxergar com clareza
depois de tanto tempo
também tenho minhas certezas

A verdade é a beleza 
refletida no olhar 
vai além da cor da pele
do que tem para ofertar

Importante duvidar
tanto como acreditar
nem tudo vem de graça
é necessário buscar

No tatame irei lutar
até o fim da vida
com meu sangue
escrevo versos
cicatrizo minhas feridas 

Procurando a saída
da eterna escuridão
com apenas uma vela
e uma prece acesa na mão

Para o mundo digo não
sempre quando tentado
sei que não sou perfeito
nenhum anjo alado

Já estive acorrentando
preso as minhas vontades
hoje sou o maior refém
da própria liberdade

Neste poço de maldade
já desci até o final
conheço muitos perigos
se correr será fatal
  
Mestrado espiritual
defendido com ardor
avaliado pela vida
minha tese de terror


No passado suicida
deixei loucas lembranças
meus piores pesadelos
todos traumas de infância  

Total de visualizações de página

GINO RIBAS MENEGHITTI

Escritor, Filósofo, Poeta, Ensaísta, Político, Rapper, Dependente Químico, Militante Ativo do PC do B, Técnico Administrativo do CEFET, Membro de Alcoólicos Anônimos, Narcóticos Anônimos e Grupo Levanta de Novo. Ministra Palestras Gratuitas sobre Dependência Química e assuntos relacionados a Política, Educação e Cultura em Geral. Áreas de Interesse: Filosofia, Literatura, Psicologia, Psicanálise, Sociologia, Cinema, Música, Biografias, Dependência Química, Estudo das Artes e Religiões.

Blog Archive

Posts mais Lidos e Visualizados

Frases de Albert Einstein

A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original.

O único lugar onde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário.

A imaginação é mais importante que o conhecimento.

Se A é o sucesso, então A é igual a X mais Y mais Z. O trabalho é X; Y é o lazer; e Z é manter a boca fechada.

Follow by Email

Translate

Google+ Followers