latentes viagens

Este espaço é um experimento aberto, amplo, intuitivo e original. Liberto das amarras acadêmicas, sistêmicas e conceituais, sua atmosfera é rarefeita de ideias e ideais. Sua matéria prima é a vida, com seus problemas, desafios e dilemas. Toda angústia relacionada ao existir encontra aqui seu eco e referencial. BOA VIAGEM!

Imagine por um segundo a seguinte cena: um professor de filosofia dando aula sobre a importância de nós pensarmos por nós mesmos, em seguida, o aluno emite um juízo e o professor indaga: qual filósofo sustenta sua argumentação? Por estas e outras, me distanciei sensivelmente do ensino acadêmico e de suas diretrizes, suas matrizes respiram o ar decadente de velhos embusteiros do intelecto, professores que se ocultam sob uma espessa névoa de conceitos, preenchidos por vãs miragens subjetivas, reféns do medo, do orgulho e da insana vaidade de se julgarem os únicos detentores da verdadeira interpretação e sentido de um texto.  A maioria além de não  permitir ao aluno criar suas próprias ideias e sistemas, de certa forma o impede de percorrer o seu próprio caminho, criar suas próprias sentenças, crenças e afirmações, afinal, quem ele pensa que é para poder ousar este movimento livre e criativo? Tenho certeza que muitos filósofos se estremeceram de raiva e pararam de ler este texto quando se depararam com a palavra "crença", afinal, na filosofia em nada se crê, tudo se sabe, mas ouso dizer que tudo se renova, inclusive o sentido aqui empregado. Temos a crença que para se filosofar é necessário recorrer a terminologia filosófica utilizada na academia, quando várias questões poderiam ser formuladas sem necessariamente apelar para seu próprio ensino inclusive. Realmente, a primeira vista pode parecer contraditório, para um professor de filosofia defender este tipo de ideia, mas os questionamentos mais importantes sobre a nossa existência está próximo não só do filósofo como do comum dos mortais. Não existe nenhum ser humano, em sã consciência que não tenha pensado sobre a morte, a origem da vida e dos seres, que não tenha de certa forma se espantando diante da existência. A condição para todo processo filosófico é a capacidade de se espantar, pois as coisas não são tão simples como parecem, a realidade das coisas não reside naquilo que elas aparentam, mas naquilo que elas são de fato, a cortina de elétrons, nêutrons e prótons vela a essência de todas as coisas, a combinação de certos elementos, a troca incessante de moléculas, partículas, de matéria, proporciona a ideia de um incessante fluxo que sugere a ideia do permanente movimento. Questionar por si mesmo a sua própria origem é um ato de extrema coragem e beleza, pois quem indaga, pensa, quem pensa, além de refletir, busca por respostas, e estas não estão prontas, como estão inseridas no devir, estão sempre em constante mutação, apesar de alguns possuírem a crença no mundo das ideias, na existência de um plano imutável que pode ser alcançado pela pura abstração do intelecto, ainda temos algumas questões perturbadoras que nos levam de encontro ao pensar filosófico. A certeza inabalável da morte física é algo que nos leva a questionar a finalidade da vida, apesar de muitos acreditarem na ocorrência casual dos fenômenos, de rejeitarem sistematicamente toda ideia que possa estabelecer um certo sentido para o caos, isto não quer dizer que a mesma não possua um sentido maior totalmente diferente deste difundido pela sociedade contemporânea, que se apoia no saber como meio para atingir a realização de seus desejos e anseios mais íntimos e próximos, nem tudo aquilo que existe pode ser medido, mensurado e tocado, pelo menos nos termos estabelecidos pela ciência de hoje, no futuro as pessoas poderão admitir a possibilidade de cada pensamento emitido pelo ser humano possuir uma frequência e peso específicos, o que parece invisível, leve e sem nenhuma propriedade latente poderá ser estudado sob a mesma perspectiva com que estudamos um objeto. O estudo do ser irá nos levar de encontro a algumas questões importantes, que ao serem tratadas por instituições de cunho religioso, por exemplo, provoca divisões, discussões e todo tipo de sectarismo, ainda estamos longe de alcançarmos uma base comum, seja no âmbito do discurso, das práticas e dos ritos, apesar de algumas se apresentarem mais como filosofia e ciência, é na esfera do religioso que se concentra as suas atenções, temos um fascínio por tudo aquilo que ainda não conseguimos entender e explicar de forma racional, necessitamos buscar novos meios e modos para podermos compreender e entender determinados fenômenos. As leis da física são regidas por observações e experimentos, e cada uma tem a sua função enquanto agente especifico naquele tempo e espaço, pois de acordo com o espírito de cada época, todo cientista, filósofo e artista goza de um pequeno resquício da eternidade, além de serem sempre evocados dentro dos colégios e das universidades, suas obras refletem sobretudo a tentativa de compreenderem a origem e o fim último de todas as coisas, imprimir um sentido universal através de sua lente particular sempre foram as principais tentativas de todos os sistematizadores e fundadores de religião, fazer com que sua crença na imortalidade seja aceita como algo dado sem passar pelo crivo da experiência e da razão é algo bem improvável, e poucos ousariam optar pela admissão pura e simples desta possibilidade, acredito piamente, que se todos tivessem o poder e a capacidade de desenvolverem suas faculdades e terem de fato a prova irrefutável de certos fenômenos e princípios a partir da analise e do conhecimento de si mesmos, o mundo estaria repleto de seres conscientes e despertos, seres que já se despiram da falta de humildade de reconhecer a legitimidade de um criador e da existência do espírito eterno e imortal, sem romantismo ou qualquer tipo de idealidade religiosa ou ancestral, o mundo perdido se transformaria no mundo a ser buscado, pois a esperança se tornaria certeza, e a nossa percepção do tempo e do espaço se dilataria pela eternidade dos anos, os números e a vida seriam reduzidas as suas justas medidas e proporções, o futuro não seria algo a ser temido, mas sim entendido e perfeitamente previsto e modificável, visto as dimensões do tempo estarem todas intimamente entrelaçadas pelas leis de causa e efeito, ação e reação, não nos cabe aqui, delinear um quadro e oferecer fartos argumentos para que as pessoas possam sair convencidas de sua imortalidade, mas podemos sim, estar certos que existem certos convites que não podem e não devem passar despercebidos a uma alma mais atenta e sensível aos apelos do intelecto. A formação de todos os seres perpassa pelo contato consciente com o Ser Superior imanente a própria criação, a nossa maior preocupação deveria ser pela busca incessante da verdade, custe o que custar, o desvelamento ininterrupto e continuo da realidade a nossa meta e a sensibilização gradativa das nossas potencialidades o alvo, pois somente através da educação, da sutilização do espirito poderemos travar um contato direto e imediato com os seres de outras esferas, sem nenhum tipo de obstáculo ou perturbação proveniente de nossa inferioridade e da nossa ignorância. Precisamos nos abrir a certas realidades, caso estejamos interessados na melhoria individual e coletiva do planeta, a criação de escolas destinada a educar pessoas que reconheçam a importância e a necessidade de preservamos os recursos naturais, de mantermos uma postura de respeito e de afeto pelo outro, de valorizar sobretudo as relações humanas, mais do que a relação homem máquina, de restabelecer o ser ao seu verdadeiro lugar, pois apesar de não sermos o centro do universo, é preciso exercer o auto respeito e o auto amor, isto só será possível com o estimulo e o incentivo de fazerem as pessoas pensarem e agirem por si mesmas, de forma autônoma, totalmente livre e original, para isso "serve" a filosofia!  

0 comentários:

Total de visualizações de página

GINO RIBAS MENEGHITTI

Escritor, Filósofo, Poeta, Ensaísta, Político, Rapper, Dependente Químico, Militante Ativo do PC do B, Técnico Administrativo do CEFET, Membro de Alcoólicos Anônimos, Narcóticos Anônimos e Grupo Levanta de Novo. Ministra Palestras Gratuitas sobre Dependência Química e assuntos relacionados a Política, Educação e Cultura em Geral. Áreas de Interesse: Filosofia, Literatura, Psicologia, Psicanálise, Sociologia, Cinema, Música, Biografias, Dependência Química, Estudo das Artes e Religiões.

Posts mais Lidos e Visualizados

Frases de Albert Einstein

A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original.

O único lugar onde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário.

A imaginação é mais importante que o conhecimento.

Se A é o sucesso, então A é igual a X mais Y mais Z. O trabalho é X; Y é o lazer; e Z é manter a boca fechada.

Follow by Email

Translate

Google+ Followers