Latentes Viagens

Este espaço é um experimento aberto, amplo, intuitivo e original. Liberto das amarras acadêmicas, sistêmicas e conceituais, sua atmosfera é rarefeita de ideias e ideais. Sua matéria prima é a vida, com seus problemas, desafios e dilemas. Toda angústia relacionada ao existir encontra aqui seu eco e referencial. BOA VIAGEM!


Sempre quando questionado sobre as maiores invenções humanas, respondia peremptoriamente: a eletricidade, o avião e o circuito integrado. Mas não relego a segundo plano o rádio, a televisão e a geladeira. Se formos pensar o mundo, antes e depois destes aparelhos, iremos perceber que todos, sem exceção, foram divisores de água, extremamente importantes e essenciais para o desenvolvimento e o melhoramento da qualidade de vida e da própria humanidade.

Um dos maiores erros cometidos pela presente geração é ignorar o árduo esforço de nossos antepassados para que pudéssemos desfrutar dos benefícios advindos do progresso tecnológico e científico, e do conceito de civilização. Poucos seres possuem a dimensão exata da luta e sacrifício para que certos direitos e deveres fossem criados, mantidos e realizados.

Da escravidão à liberdade, da ditadura à democracia, do direito ao voto à simples emissão de uma opinião, do gozo inalienável das férias à redução da jornada de trabalho, da aposentadoria ao décimo terceiro salário, da mecânica à elétrica, do analógico ao digital, das grandes máquinas aos componentes eletrônicos, do macro ao micro, do cosmos ao átomo, eis que surge a nanotecnologia. Quem um dia ousaria imaginar que seria possível armazenar num único e pequeno objeto uma grande quantidade de discos, livros e vídeos?

Nascemos com a sensação de que o mundo, assim como as pessoas, existe para servir e atender aos apelos emitidos por nossa vontade. Como se a civilização fosse um direito e não fruto de uma conquista e construção histórica. Todos nós, que vivemos sob este regime, deveríamos nos envergonhar por não ceder a nossa força de trabalho na realização de algo coletivo em benefício da sociedade.

Desde o momento em que acordamos até a hora em que dormimos, milhares de espíritos estão presentes em nossa vida, nos auxiliando. Não falo dos espíritos dos mortos, de supostos entes desencarnados, mas dos vivos e operosos. Por quantas vezes na vida você já refletiu seriamente sobre o esforço coletivo despendido para que você pudesse ter um belo dia?

Você mal acorda e se esquece de reparar a sua casa, a sua forma e modelo. Alguém pensou, elaborou e executou este projeto. Quantas pessoas foram necessárias para carregarem os tijolos, areia e cimento? A sua cama, o seu colchão, pijama e chinelo. Vai ao banheiro, aperta o interruptor, acende a luz, abre a torneira e sai água. Não, isto não é um milagre! Mas realmente, admito, é espantoso.

Ao escovar os dentes, quantos objetos: escova, creme e fio dental. Questione a matéria prima de cada um deles. Tente imaginar a elaboração, desde a ideia até a criação, da matéria prima à fabricação, da entrega até a sua casa. Você senta na sua mesa e cadeira, confeccionada por alguém, recolhe o seu pão, passa o café e retira a manteiga da geladeira. Alguém plantou, colheu e preparou, o trigo e o café. Alguém cuidou, ordenhou e entregou o leite.

Nem foi preciso chegar ao processo de industrialização destes produtos para perceber a quantidade de horas e pessoas necessárias para que, em menos de meia hora do início de seu dia você pudesse se dar conta das inúmeras centenas de pessoas envolvidas e comprometidas com sua existência. Pare de ler este texto por um minuto e pense seriamente nesta questão: quantas pessoas foram necessárias para que você pudesse viver de forma plena e satisfatória o seu dia? Lembre-se de todas as suas refeições, instituições e roupas, do material de limpeza aos de higiene pessoal, desde ao plantio de determinado vegetal até a pessoa que colocou o botão na sua calça e a sola no seu sapato.

E você, o que tem feito de bom para a vida das pessoas à sua volta? Se não conta com alguma habilidade manual ou intelectual, o simples esboço de um sorriso já é capaz de alterar de forma positiva, o humor e o ambiente em sua volta. Todos somos capazes de oferecer algo, desde que tenhamos a vontade e o desejo sincero de contribuir na construção de um mundo melhor.  

Triste é constatar que a maioria das pessoas não se dá conta de que viver em sociedade é sobretudo doar e servir o seu tempo e energia na construção e manutenção da mesma. Em meio ao advento da comodidade e do conforto, promovido pelas facilidades do progresso material, cresce assustadoramente o número de pessoas infelizes e insatisfeitas, portadoras de algum distúrbio psíquico ou emocional. Não por acaso a depressão foi profetizada como o principal mal do século.  

Não ignoro os problemas políticos, econômicos e sociais, contudo, todos os dias, uns mais outros menos, temos a chance de modificar nossas vidas e alterar a rota de nosso destino. Saibamos reconhecer e agradecer, com profunda gratidão, as pessoas, que todos os dias trabalham para que possamos ter uma vida plena, lembrando sempre, que verdadeiramente rico é quem possui menos necessidades.


0 comentários:

Total de visualizações de página

GINO RIBAS MENEGHITTI

Admiro todas as pessoas que ousam pensar por si mesmas.

Blog Archive

Posts mais Lidos e Visualizados

Frases de Albert Einstein

A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original.

O único lugar onde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário.

A imaginação é mais importante que o conhecimento.

Se A é o sucesso, então A é igual a X mais Y mais Z. O trabalho é X; Y é o lazer; e Z é manter a boca fechada.

Follow by Email

Translate

Google+ Followers