Latentes Viagens

Este espaço é um experimento aberto, amplo, intuitivo e original. Liberto das amarras acadêmicas, sistêmicas e conceituais, sua atmosfera é rarefeita de ideias e ideais. Sua matéria prima é a vida, com seus problemas, desafios e dilemas. Toda angústia relacionada ao existir encontra aqui seu eco e referencial. BOA VIAGEM!


Durante muito tempo, esquivei-me de descrever, de forma clara, detalhada e sucinta a exposição desta teoria, que por mais simples que seja sua criação, por enquanto, continua sendo, de minha autoria. Pode parecer arrogância, prepotência ou fruto do meu orgulho, mas tive o cuidado de digitar no google e confesso que não encontrei nada que se relacionasse direta ou indiretamente ao tema. Olha só que ironia, no país de semi analfabetos, cuja maioria das pessoas não possui sequer o hábito da leitura, o que dirá, dos estudos tecnológicos e científicos, temos que ficar justificando os nossos arroubos criativos como pecados a serem confessados no escaninhos da consciência: a nossa síndrome vira lata nos impede de contemplar e aceitar a criação do outro como sendo produto de sua própria mente e inteligência. O nascimento da filosofia está intimamente ligada ao despontar dos primeiros físicos e matemáticos. Em sua fase embrionária a filosofia buscava as respostas para a origem e principio do mundo e das coisas na matéria. Com o passar do tempo passou a procurar no interior do homem, inaugurando a psicologia: conhece-te a ti mesmo já dizia Sócrates. Sempre foi recorrente o uso de termos da física, dentro da terminologia filosófica, para a exemplificação de determinados conceitos. No século XIX por exemplo, o filósofo alemão, Friedrich Nietzsche, recorreu ao conceito de vontade de potência que entre outros sentidos e significados pode ser interpretado como uma força atuante que nos leva a romper com os próprios limites. Ao me deparar com este universo, recém formado no curso técnico de Eletrotécnica, comecei a decodificar a linguagem técnica científica para área de humanas, em especial a psicologia. Para isso, precisei estar munido de alguns conhecimentos da física: de suas leis (ação/reação, causa/efeito) e áreas de atuação, no caso o eletromagnetismo e o estudo dos circuitos elétricos. O circuito elétrico, nada mais é, do que a ligação de elementos elétricos. Para poder facilitar a compreensão e o entendimento dos conceitos que gostaria de expor, vamos nos ater a um circuito elétrico simples, formado por um gerado e um resistor. O gerador, como o próprio nome diz,  é responsável pela conversão de um tipo de energia em energia elétrica, é quem gera energia para o circuito. Todo circuito, para poder operar, normalmente necessita de uma tensão (voltagem=V), corrente (intensidade=I) e resistor (resistência (R) o que origina, como resultado: a potência (P). A fórmula apresentada pela física se dá da seguinte forma. V= RI, P= VI, logo P=RI². Mediante estas considerações, tentarei discorrer sobre o que entendo ser a psicologia do circuito elétrico. Vejamos: imagine por um segundo, nosso ser e nossa vida. Qual a nossa fonte de energia? O que impede de realizarmos os nossos desejos, vontades e anseios? Por que temos dificuldade em resistirmos a certas vontades? O que aconteceria se sempre agíssemos de acordos com nossos mais primitivos impulsos, os instintos? Como você reagiria se eu lhe dissesse, com toda certeza e convicção, que o segredo de sua existência está dentro de você mesmo? Nada que alguém já não tenha dito, mas se eu lhe disser, além disso, que você é um circuito elétrico? Ou melhor, você é responsável pela construção ou não desta imensa usina de energia que alguns chamam de ser e outros alma ou espírito. Você acredita? Primeiro vamos analisar nossas lutas, desafios e dificuldades, isto gera uma tensão. Se a tensão for zero a potência, que aqui chamo de potência do espírito, será zero, conforme a fórmula indicada acima. Olhe a importância de uma vida marcada por dificuldades. Pode parecer contraditório, mas quanto maior a tensão, ou seja, quanto maiores as dificuldades, maiores serão o acréscimo de potência do espírito. O espírito não cresce sem tensão (dificuldades), corrente ou intensidade (desejo) e franca resistência (a tudo que nos faz mal). Uma pessoa que nasce em berço de ouro terá acesso a uma vida de poucos problemas (desafios) e facilidades. É de se esperar que a mesma utilize sua energia no desenvolvimento de suas faculdades e dedique o máximo de tempo no cultivo de suas potencialidades, no entanto se optar por uma vida acomodada e quiser por mero capricho de sua vontade permanecer na zona de conforto, terá sua tensão reduzida a zero o que significa que a potência de seu espírito também irá zerar. Lembre-se sempre isso, o circuito elétrico, assim como nossa mente e alma, possui um arranjo em que as partes dependem do todo e o todo depende das partes. Para que o circuito funcione de forma harmoniosa, e principalmente, gere energia, e seja capaz de acender uma luz, no caso da alma, a luz espiritual, é necessário que certa energia entre em movimento. A corrente ou intensidade corresponde ao nosso desejo, a nossa vontade. A medida de nosso desejo irá fornecer o número exato da intensidade, quanto maior o desejo, maior a corrente, logo a potência. Se queremos algo, devemos querer com todas as nossas forças e não devemos medir esforços para sua concretização. Para isso, temos que nos opor a certas coisas. Para irmos por um caminho, temos que evitar mil outros, ou seja, temos que resistir aos nossos impulsos inferiores, marcados pelos instintos, caso quisermos realizar algo de verdadeiramente nobre e superior. Se não resistirmos aos apelos emitidos pela carne, dificilmente iremos conseguir realizar a potência do espírito. Para o espírito alcançar o seu máximo de potência em todos os sentidos, níveis e esferas precisa estar munido de um forte desejo, resistir conscientemente a tudo aquilo que nos afasta da realização deste objetivo e claro, aprender com os desafios e dificuldades, pois sem tensão sua potência não aparecerá.  Dito isso, resta-nos concluir, que para podermos alcançar a potência do espírito em sua plenitude, não podemos fugir dos desafios da existência. Os desafios existem para serem enfrentados e combatidos, nunca para nos paralisar. Não devemos deixar de sonhar, pois a corrente da vida flui através da renovação de nossos desejos e vontades.  E, claro, nos tornar responsáveis por nossas escolhas, sabendo que tudo nos é lícito mas nem tudo nos convém. Resistir a tudo aquilo que nos faz mal, além de aumentar nosso vigor e energia nos mantém vivos, ativos e atuantes. Espero ter sido claro e objetivo, desejo a todos boas reflexões...                 

0 comentários:

Total de visualizações de página

GINO RIBAS MENEGHITTI

Admiro todas as pessoas que ousam pensar por si mesmas.

Blog Archive

Posts mais Lidos e Visualizados

Frases de Albert Einstein

A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original.

O único lugar onde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário.

A imaginação é mais importante que o conhecimento.

Se A é o sucesso, então A é igual a X mais Y mais Z. O trabalho é X; Y é o lazer; e Z é manter a boca fechada.

Follow by Email

Translate