latentes viagens

Este espaço é um experimento aberto, amplo, intuitivo e original. Liberto das amarras acadêmicas, sistêmicas e conceituais, sua atmosfera é rarefeita de ideias e ideais. Sua matéria prima é a vida, com seus problemas, desafios e dilemas. Toda angústia relacionada ao existir encontra aqui seu eco e referencial. BOA VIAGEM!

Você espera que tudo se resolva da melhor maneira possível e que todo contratempo possa ser varrido e eliminado, não restando nenhuma sombra ou vestígio de sua presença. Porém, a vida, esta mestra incansável, reluta, e lhe oferece inúmeros conflitos e desafios, na tentativa de provar para si mesmo sua força e lhe revelar todo seu potencial. Não aprendemos a ler nas entrelinhas e temos dificuldade de perceber os sinais. Estamos perdendo o contato com o divino em si e todo assunto relacionado à espiritualidade tende a ser considerado místico, esotérico e supersticioso, como se as forças invisíveis que agem e atuam, a todo instante no universo, fossem obra de débeis lunáticos ou meros autores de ficção. O sentido da vida e do próprio planeta, que pode e deve ser discutido e analisado de forma exaustiva, se torna uma reflexão pequena e irrelevante frente às preocupações imediatistas e mundanas regidas pelo poder do mercado e do capital. A transformação das pessoas em mercadorias e do tempo em dinheiro, serviu e serve para nos mostrar o quanto erramos ao adotar a postura e percepção de que os seres assim como as coisas, só servem caso nos sirvam. A ótica do mercado inverteu os mais belos valores, e existem milhares de seres lutando desesperados pela realização de seus sonhos na esfera material. Muitos, submetidos as vantagens obtidas pelo momento, fecham os olhos para os problemas e dilemas daqueles que estão vivenciando maiores dificuldades ao seu lado, ignorando o drama e as dores morais de milhares, que não possuem acesso ao mínimo e necessário a uma sobrevivência digna e saudável. Os detentores do poder e do capital se arrogam o direito de impor e imprimir o peso de suas decisões políticas e econômicas, arbitrárias e sem nexo, que podem ser sentidas numa rotina fria, empobrecida e entediante. Uma legião de almas, vagam a esmo e sem destino, sem o recurso moral e cultural para se elevarem, por si mesmas, a um patamar mais elevado da existência. O tempo neste planeta, onde cada segundo deveria ser vivido e aproveitado, da melhor forma possível, sempre visando o nosso progresso e evolução, coletiva e pessoal, está sendo covardemente desperdiçado e destinado a execução de atividades estranhas a nossa maneira de sentir e pensar. Poucas pessoas se identificam com o ritmo impostos pelas máquinas, e raros operários se apresentam felizes e orgulhosos, com sua vida, trabalho e salário. Sim, existem certas funções e atividades que sempre terão que ser realizadas e executadas por alguém, porém o tempo destinado ao trabalho poderia ser reduzido ao mínimo necessário. Para que fabricamos tantas coisas e objetos? Porque utilizar todo bem e recurso na construção de uma sociedade que sabemos ser doente e fadada ao fracasso? Não necessitamos de tantos objetos e alimentos para termos uma vida rica, significativa e válida. É preciso um pouco mais de arte e vontade para desvencilharmos do atual estado de coisas. Estamos caminhando para uma guerra de todos contra todos, onde a desconfiança e o egoísmo serão os maiores responsáveis pelo nosso processo de autodestruição. Cada qual, pensando somente em si mesmo, esquece que vivemos numa dinâmica rede interligada, onde as partes afetam o todo e o todo afetam as partes. Não estamos e nunca estivemos, de fato, sozinhos. Um dos maiores erros e ilusões, é nos considerarmos como os únicos agentes responsáveis pela nossa vida e existência terrestre. Estamos sendo, a todo instante, testados e provados, tanto em nossos pontos fortes como fracos, e poucos serão aqueles capazes de suportar a visão refletida de si mesmos no espelho da consciência.  Ainda iremos presenciar a morte e o nascimento de inúmeros fatos e fetos e ao lado da sorte lançada pelos dados existe sim, a certeza de podemos mudar a nós mesmos. Afinal, como diria o saudoso e querido Chico Xavier “embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo final.  

0 comentários:

Total de visualizações de página

GINO RIBAS MENEGHITTI

Escritor, Filósofo, Poeta, Ensaísta, Político, Rapper, Dependente Químico, Militante Ativo do PC do B, Técnico Administrativo do CEFET, Membro de Alcoólicos Anônimos, Narcóticos Anônimos e Grupo Levanta de Novo. Ministra Palestras Gratuitas sobre Dependência Química e assuntos relacionados a Política, Educação e Cultura em Geral. Áreas de Interesse: Filosofia, Literatura, Psicologia, Psicanálise, Sociologia, Cinema, Música, Biografias, Dependência Química, Estudo das Artes e Religiões.

Posts mais Lidos e Visualizados

Frases de Albert Einstein

A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original.

O único lugar onde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário.

A imaginação é mais importante que o conhecimento.

Se A é o sucesso, então A é igual a X mais Y mais Z. O trabalho é X; Y é o lazer; e Z é manter a boca fechada.

Follow by Email

Translate

Google+ Followers